Roberta, Pedro e os Peludos esperando pela Maria Olívia – Taubaté, SP

Me perdoe “roubar” suas belas palavras Beto, mas eu jamais conseguirei escrever como tu,
então faço uso dos seus escritos e o faço com muito carinho ;)

{ CONFISSÃO DE UM AVÔ }

“Parafraseando João Grilo, “não sei, só sei que foi assim!”
Não veio ao mundo ainda, não nasceu, mas é só começarmos dela a falar e os olhos começam a marear.
Diz a avó que é por conta da situação, tadinha da menina ainda no ventre e já tem tanta preocupação,
como que pra nascer a condição é tatear antes do ar respirar.

Pelo sim ou pelo não, a verdade é que em mim bateu no coração e doeu feito tiro de canhão e eu,
um pagão, só me restou torcer pra que o tiro tenha sido de festim, e sonhar que dele saia somente perfume de jasmim.

Escutem com muita atenção pois o que vou dizer não tem explicação pois trata-se da lógica do amor vovonismo
que por definição não tem explicação é absoluto e suficiente em si mesmo, é sentir saudade sem conhecer,
sem saber, é fritar um ovo sem nascer, é um amor sem fim, não sei, só sei que é assim.

A confusão já nasceu com a sua geração, e não me refiro no tempo em que veio mas no momento em que se soube dela,
e aqui na minha cachola já veio a lembrança de quando veio a Bella, a primeira cor da minha aquarela.

Na indefinição de seu nome, pois o pai queria Maria Eduarda ou mesmo Carolina e já a mãe,
mais contundente se apaixonou por Olívia e dai Maria Olívia e o suspense no ar até a definição,
mas pro no meu pensamento poder estar com ela, Danadinha foi a solução, coisas do coração, mais uma cor pra minha aquarela.

Me perdoem a indiscrição, mas agora falo é com ela, Maria Olívia, minha neta e digo de peito aberto abrindo o coração,
neta querida já és mais uma preferida do Vovôbabão.

Pra alegrar ainda mais sua chegada, faço aqui uma comunicação, já faz parte de um time que será só união, nele estão Bella e Leo,
não esquecendo da Ana Júlia e Mariana que também estão, sem falar da caçulinha Maria Luiza que como você, ainda não chegou não.

Estamos te esperando neta querida, embora ainda tenhas o ventre como moradia, sua presença, ainda que singela,
é puro mel que o coração adoça, pura delicadeza que nos atropela e no peito se acomoda,
nos acalanta e como numa aquarela nosso amor por você, Danadinha, se revela.”

Nas lindas palavras de Avô Babão, Beto.


  “Isso de ser exatamente o que se é, ainda vai nos levar além!”
(Paulo Leminski)

      

      

Para ver mais, me segue aqui também:
Facebook: /grazinilo
Instagram: @grazinilofotografia e @graziribeironilo

Deixe seu comentário